Peça “Para não morrer”

R$50,00

Historias verídicas da luta mulheres que transformaram o meio e as pessoas é do
que trata o espetáculo Para Não Morrer, solo de Nena Inoue, que por sua
atuação recebeu o premio Troféu Gralha Azul de Melhor Atriz do Estado do
Paraná/2017, foi indicada ao Prêmio Botequim Cultural e em 2019, foi a
vencedora do Prêmio SHELL de Melhor Atriz.

Descrição

Historias verídicas da luta mulheres que transformaram o meio e as pessoas é do
que trata o espetáculo Para Não Morrer, solo de Nena Inoue, que por sua
atuação recebeu o premio Troféu Gralha Azul de Melhor Atriz do Estado do
Paraná/2017, foi indicada ao Prêmio Botequim Cultural e em 2019, foi a
vencedora do Prêmio SHELL de Melhor Atriz.

Com dramaturgia do curitibano Francisco Mallmann à partir da
obra “Mulheres” de Eduardo Galeano, a encenação concebida por Nena Inoue em
parceria de criação com Babaya (BH), apresenta temáticas femininas e feministas
atreladas a questões políticas, especialmente da América Latina. Uma mulher se
apropria da sua palavra e, dessa forma, dá voz a muitas outras. Diferentes lugares,
vidas e momentos históricos se mesclam neste espetáculo que traz a urgência do
que tem que ser dito e a coragem de narrar e compartilhar dessas histórias.

Sentada em uma poltrona, a atriz rememora os grandes feitos de perseverança
contra a opressão. A figura de Nena Inoue, em cena, apresenta uma
narradora limitada fisicamente, mas que insiste em falar e que intersecciona
distintas vivências e aprendizados, evocando, ao mesmo tempo, muitas presenças,
alternando força e ternura. O espetáculo se insere no debate atual interessado no
resgate e na manutenção da memória, apresentando o Brasil em interlocução
muito estreita com toda a América Latina. “A peça é sobre opressão, violências,
mas também sobre resistências e afetos. É também sobre as mulheres de hoje, do
que está adormecido, coisas que precisamos despertar. E em tempos de
retrocessos sociais, a consciência histórica e a ação se fazem mais necessárias
ainda e este espetáculo é minha forma de militar, meu exercício de resistência. E
ele vem tocando distintos públicos, que não somente mulheres, pois seus
conteúdos são importantes para todos, nesse momento”, reflete Nena.

Nena Inoue partiu da obra Mulheres, do escritor uruguaio Eduardo Galeano
(1940-2015), “lendo o livro me inspirei pela importância dessas mulheres que
estavam na contramão do que era imposto e quis repassar isso para outras pessoas
para que todos se contaminassem por essas mulheres que lutaram antes de nós
pela liberdade e pela justiça e que, à sua maneira, venceram. Trazer à memoria
mulheres protagonistas de suas histórias e convidei então o
Francisco Mallmann para essa dramaturgia e ele trouxe um texto emocionante,
poderoso. E contei também com o olhar sempre preciso da Babaya,
minha parceiraça há anos, que esteve comigo desde o inicio, nesse trabalho”,
conta Nena. Escrito em 1997, o livro de Galeano recupera a biografia de várias
personagens históricas cuja importância a perspectiva dominante reduziu,
deturpou ou simplesmente ignorou. É uma homenagem às mulheres – célebres e
anônimas – em especial da América Latina. Uma forma de dar voz às lutas de

mulheres que não são vistas nem lembradas: negras, indígenas, guerrilheiras,
mães, avós, filhas de diferentes épocas e lugares que foram violentadas,
mutiladas, torturadas, assassinadas e esquecidas. E resgata ainda algumas mais
conhecidas como Sherazade, Rosa de Luxemburgo, Josephine Baker,
Olga Benário, Maria Bueno e outras.

O espetáculo estreou no Festival de Curitiba/Mostra Oficial, em abril de 2017,
na II Curitiba Mostra, uma idealização do Espaço Cênico, coordenado por
Nena Inoue, com objetivo de fomentar processos de criação autoral e intercâmbio
entre artistas de diversas áreas. Com mais de 120 apresentações pelo pais desde
então, realizou temporadas em Curitiba, São Paulo/SESC Pinheiros e apresentou-
se nos festivais FILO – Festival Internacional de Londrina, FICA Natal – Festival
Internacional de Natal, no SINGA 2017 – Simpósio Internacional de Geografia
Agraria, na Mostra SÓ EM CENA de Maringá e no III Curitiba Mostra. Em
Mingas Gerais, apresentou na Estação Ponto de Partida (Barbacena) e no Teatro
Municipal de São Joao Del Rey. Circulou pelo SESC EnCena em várias cidades
do Paraná e no Rio de Janeiro esteve no SESC Ginastico/RJ e realizou exitosa
temporada no Teatro Poeirinha, que lhe rendeu as indicação ao Premio Shell de
Melhor Atriz de 2019.

Ficha Técnica:
Idealizadora e Atriz – Nena Inoue. Parceria de Criação – Babaya
Morais. Dramaturgia – Francisco Mallmann (à partir da obra de Eduardo
Galeano). Iluminação – Beto Bruel. Criação de Figurinos/Adereços – Carmen
Jorge. Cenário – Ruy Almeida. Técnico Operador – Vinicius Sant. Designer
Gráfico – Martin Castro. Redes Sociais: Platea Comunicação e Arte. Direção de
Produção – Nena Inoue. Realização – Espaço Cênico.

Duração 70’.
Indicação etária: a partir de 14 anos.

Contato
Nena Inoue (41) 99236 9466
E- mail nenainoue@hotmail.com

Avaliações

Não há avaliações ainda.

Seja o primeiro a avaliar “Peça “Para não morrer””

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

8 + 8 =