INFRAESTRUTURA

QUALIDADE, SEGURANÇA E COMPROMISSO AMBIENTAL

Fase 1

  • Quebra e Remoção do piso e contra piso existente;
  • Remoções de manta asfáltica existente
  • Retirada de 30 cm de altura de todo acabamento existente;
  • A quebra e retirada do material foi feita pela empresa PortoBello Engenharia, sob responsabilidade do Eng. Civil Nivaldo Mattos Galhardi Carvalho – CREA-PR 89.758/D;
  • O transporte dos resíduos foi feita pela empresa Transdetritos com a devida licensa ambiental
  • O processamento dos resíduos foi feito pela empresa Fiorese, com a devida licensa1 e licensa 2.

Fase 2

  • Regularização da superfície e abaulamento dos cantos do piso junto a platibanda, sendoutilizado cimento e areia com traço de 1x2, com total nivelamento para os ralos.
  • A regularização foi feita pela empresa PortoBello Engenharia, sob responsabilidade do Eng. Civil Nivaldo Mattos Galhardi Carvalho – CREA-PR 89.758/D;

Fase 3

  • Aplicação de fundo primer Marca Viapol.
  • A aplicação do material foi feita pela empresa PortoBello Engenharia, sob responsabilidade do Eng. Civil Nivaldo Mattos Galhardi Carvalho – CREA-PR 89.758/D;

Fase 4

  • Aplicação de manta Asfáltica Viapol 4 mm, em toda a área.
  • A aplicação foi feita pela empresa PortoBello Engenharia, sob responsabilidade do Eng. Civil Nivaldo Mattos Galhardi Carvalho – CREA-PR 89.758/D;

Fase 5

  • Teste de estanque idade, 72 horas após a aplicação da manta.
  • O teste foi feito pela empresa PortoBello Engenharia, sob responsabilidade do Eng. Civil Nivaldo Mattos Galhardi Carvalho – CREA-PR 89.758/D;

Fase 6

  • Aplicação de lona separadora e proteção mecânica vassourado com 1 cm de espessura em toda a área impermeabilizada, sendo utilizada uma camada de cimento e areia com traço de 1x1.
  • Construções de uma camada de Piso em concreto com aproximadamente 4 cm;.
  • Acabamentos em todas as laterais, que serão removidas, sendo utilizado o mesmo acabamento existente.
  • A execução foi feita pela empresa PortoBello Engenharia, sob responsabilidade do Eng. Civil Nivaldo Mattos Galhardi Carvalho – CREA-PR 89.758/D;

Fase 7

  • Assentamento de Piso cerâmico na base da platibanda com argamassa para uso externo e com caimento para fora.
  • Rejuntamento do piso e Acabamento.
  • A execução foi feita pela empresa PortoBello Engenharia, sob responsabilidade do Eng. Civil Nivaldo Mattos Galhardi Carvalho – CREA-PR 89.758/D;

Fase 6

  • Restauração em todos os pontos danificados na alvenaria, com aplicação de massa acrílica no acabamento, posterior aplicação de duas demãos de Tinta Acrílica fosca Premium metalatex de 1o linha;
  • A execução foi feita pela empresa PortoBello Engenharia, sob responsabilidade do Eng. Civil Nivaldo Mattos Galhardi Carvalho – CREA-PR 89.758/D;

O que diz o  Calculista  da obra?

– Nível do Terraço:

o    impermeabilização + revestimento = 0,20 tf/m2

o    carga acidental (útil) = 0,25 tf/m2

–          Nível da Cobertura do Terraço:

o    Forro + Cobertura = 0,12 tf/m2

o    Carga acidental = 0,05 tf/m2

JORGE LUIZ SILKA PEREIRA
ENG. CIVIL – CREA-PR 8066-D

O que diz o  Eng.  da obra?

A sobrecarga prevista para impermeabilização e revestimento é de 200 kg por m²; e a sobrecarga acidental ( que significa um carregamento de peso adicional para utilização de floreiras/pessoas/máquinas) é de 250 kg por m².

A primeira sobrecarga (200 kg/m²) já esta sendo utilizada com a impermeabilização existente, cimentado de proteção desta impermeabilização e laje de cobertura (proteção) que se situa cerca de 20 cm acima da laje impermeabilizada.

Restam previstos a possibilidade de utilização de 250 kg por m²

Joaquim Agner Machado

O que estamos utilizando?

Na etapa 1 “quebra e retirada do piso e contrapiso original do preojeto retiramos em concreto com pó de pedra 48 toneladas. Ao refazer o piso e contrapiso utilizamos 33 toneladas de concreto, deixando o terraço com 15 toneladas a menos de sobrepeso, o que nos permitiria considerar 60 kg a mais por metro quadrado.

No entanto, mesmo com esta margem de segurança obtida com a nova estrutura, seguimos nos orientando pelo cálculo original de 250 kg por metro quadrado.

A primeira parte do terraço possui em média 148 kg por metro quadrado saturado(encharcado), sobrando, portanto 102kg por metro quadrado para circulação ou instalação de equipamentos considerando o cálculo original e 162kg com a nova estrutura.

Faça parte do Terraço Verde

ENTRE EM CONTATO